Dois mil servidores da saúde param atendimentos em Campina Grande

greve-dos-da-saude2Mais de dois mil servidores da saúde em Campina Grande entraram nesta sexta-feira (2). Em assembleia na manhã de quinta (1º), as 23 classes entre médicos, enfermeiros, odontólogos e agentes municipais de saúde decidiram interromper as atividades reivindicando melhores condições de trabalho e remuneração.

Segundo a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde, não houve notificação formal da decisão em assembleia. Além de uma reunião na tarde de ontem, outras duas rodas de negociação estão agendadas para esta sexta e para a próxima terça-feira (6) com a secretária municipal de Saúde, Lúcia Derks.

A greve segue por tempo indeterminado enquanto durarem as negociações. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), houve decisão unânime da categoria pela greve. Os servidores da saúde reivindicam a revogação da gestão pactuada, a normalização das gratificações, o repasse da verba do Programa Nacional de Melhoria do Acesso a Qualidade de Atenção Básica (PEMAQ) e um plano de cargos e carreiras.

A reivindicação de melhorias já havia sido comunicada, segundo o sindicato. “O indicativo de greve já tinha sido decidido em assembleia no último dia 18, mandamos para a prefeitura documento informando isso”, disse a secretária-geral do Sintab, Mônica Cristina.

Ainda de acordo com o presidente do sindicato, Napoleão Maracajá, “enquanto durarem as rodadas de negociação com a secretaria, todos os setores da saúde municipal continuarão paralisados, à exceção das urgências e emergências”. Uma nova assembleia da saúde será agendada na próxima semana.

 

Fonte: G1 PB

Você pode Deixar uma responsta, ou voltar para o site.

Deixe uma resposta


7 − cinco =